quinta-feira, 27 de março de 2014

Não ao Rodeio em Registro!!!

Não ao Rodeio!!
Não ao Rodeio!!!
Gostaria de parabenizar a atitude da prefeitura de Registro ao se declarar contra este tipo de selvageria, que não condiz com o espírito e nem com o perfil do cidadão Registrense!! Não temos a tradição em nosso município de açoitar, esporar e maltratar animais em festas sadistas e nos orgulhamos disto! É notório que 98% das pessoas que pagam para que este tipo de "festa" ocorra não vão a arena prestigiar o evento, e sim por causa dos shows, que justamente foram atreladas para que esta festa bárbara com raízes na Idade Média continue tendo fôlego e rendendo inegáveis somas aos que as organizam e se vangloriam de "sustentar" essas "tradições"! Agradecemos ao prefeito Gilson Fantin por esta iniciativa e toda sua equipe! Gostaria de agradecer também ao meu amigo Secretário Municipal de Cultura por expressar explicitamente e justificar ao povo, como sempre, com eloquência os motivos de sua não concordância a esta brutalidade travestida de Festa! Parabéns a Cristiano Oliveira Carlos Alberto Pereira Junior e a todos, que estão engajados nesta inciativa de retomar o gosto do Registrense por suas próprias ações culturais, tais como os Saraus, só para não se estender!! Criticar a não realização do Rodeio é fato notório democrático (há por exemplo pessoas que até votam no PT, pasmem) porém dizer que não há praticamente nada de atrativo cultural na cidade, é porque mora num casulo, ou nem é daqui!!!
Há...e para os que vão criticar minha opinião, saibam que eu não estou nem aí!!! Nunca irei compactuar com esta atitude nefasta e brutal para com os animais!!!

quinta-feira, 6 de março de 2014

Indignação.....só isso!!!!

Bom amigos, atipicamente, eu sou uma pessoa que normalmente eu escreve por indignação ou por ansiedade! Em momentos de estress, coloco no papel minhas ideias, poemas, enfim, minha “paixonite” pela Língua Portuguesa, e hoje, é um desses momentos que não pude deixar de escrever! Minha indignação por certas situações está limítrofe e aí vai:

Quem tiver preguiça que não leia!!!
Que país estamos forjando? O que estamos fazendo, como estamos contribuindo para o crescimento de nossa nação?
Indignado, utilizo estas duas indagações iniciais para posteriorizar meus  pensamentos, e me sinto fragilizado como educador, quando penso no que vamos deixar para as futuras gerações!
Criamos uma sociedade heterogênea, típica da miscelânea cultural e racial forjada ao longo de séculos de junções de imigrantes com os nativos indígenas, e hoje, temos que nos sujeitar a sistemas de inserção, numa sociedade onde a definição de raça não deixa claro o branco do negro! Você classifica-se como? Branco, pardo, amarelo? Que raça pertence? Qual é a sua etnia? Os sistemas de cotas compreendem o que na verdade? Na minha família, através de verificação genealógica, eu descendo de Portugueses, Italianos, Negros e tenho dúvidas da minha descendência indígena! Sou o que? Preciso de cotas? Posso me inscrever cotista? Declaro negro como cor, pardo ou branco? Classifico-me branco, e por isso sou racista? Não sei mais.......
Como ensinar empreendedorismo a uma criança que se vê cercado de bolsas, onde o pai vive bêbado, a mãe, compartilha seu tempo com ele e mais outros seis? Como explicar a ele que a educação é a chave para um futuro melhor se em casa, ele vê e ouve que o único motivador para ele ir a escola são as bolsas misérias atreladas a frequência? Como educá-lo se o que motiva a sua ida a escola é a merenda? Como instruí-lo, se ao receber o kit de materiais ele o faz reclamando do lápis, do caderno, do livro que recebeu para ler,e como incentivá-lo a leitura se em casa não há respaldo? Bom...essa é a primeira geração do bolsa-família que está vindo para a escola..Imagina o que virá daqui a 10 anos!
Última semana antes do carnaval, discutindo com alunos do 3º Ano do Ensino Médio posturas e maneiras de se comportar diante a uma entrevista de emprego, citei a importância das redes sociais, do que eles não devem postar, da questão das tatuagens, piercings, alargadores, de como falar e outras situações (Que foram situações analisadas e observadas durante a entrevista de de emprego, com certeza) chegamos a discussão da Copa no Brasil! Falei das questões envolvendo o gasto absurdo do dinheiro público (28 bilhões) e perguntei o que era mais importante – “educação, saúde,empregos ou Copa” – bom...imaginem as respostas! O adolescente não é Bobo! Mas como fazer a diferença, estimular o pensamento ideológico com os exemplos dos embargos infringentes?  Bom....difícil mas não impossível! Por isso digo abertamente e apelo a meus colegas:
- Vamos estimular o boicote a essa vergonha bilionária chamada de Copa;
- Vamos apoiar as manifestações, obviamente sem violência e sem Black blocks, pacíficas contra essa vergonha desmedida;
- Vamos boicotar esse ParTido que assola nossa política nacional como um câncer;
-Vamos fazer valer nossa força!

Não dá para aturar, conceber,um país sem leis, sem educação, sem respeito a família, aos mais velhos....Não dá!!! Mudanças devem começar imediatamente! Não queremos Copa, não queremos Porto em Cuba, não queremos nem contato com essa raça..queremos mudanças! E essas mudanças que partam de quem pode fazê-las....Nós!! Se não, que geração fomos? O que deixamos para as futuras? Tenho até medo de pensar......


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

PDF

Print Friendly and PDF