quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Responsabilidade: Ação “demodê” ou atributo relegado a poucos?


Responsabilidade: Ação “demodê” ou atributo relegado a poucos?
Quarta de cinzas, final de carnaval e início de ano no Brasil! Sempre assim....mas porque tem que ser? Que cultura é essa que cercea nossa capacidade sócio-econômico-cultural? Até quando daremos mais valor para situações inerentes a nosso prazer ante ao nosso crescimento? Bom....não sou anti-carnaval não! Só acredito que vivemos num momento que deveríamos nos ater as ações imediatistas e de maior significância..mas tudo bem...Isso é cultural....
Levando em conta o tempo que fiquei ausente do Blog, e que o deixei às moscas, resolvi voltar como todo bom brasileiro, no pós carnaval a compartilhar minhas ideias com vocês através deste texto, em que vou enfocar as questões relevantes a esse ato sublime, que exige doação: Responsabilidade!!
Essa semana, para nós católicos, já começou com uma “bofetada” na cara de nossa religião: O Papa irá deixar de ser pop! Uma sonora “cacetada” e para os intuitos de crescimento e evolução de nossa fé, pois o mesmo que foi “santificado” para liderar os preceitos de nossa Santa Sé, irá nos abandonar, num momento crucial! Isso é um ato de fé, ou egoísmo irresponsável? Bom, as ideias se divergem quanto a este fato, mas uma certa instabilidade se instaura no seio do Vaticano! Mas religião à parte, diminuindo o raio de discussão, chegamos ao nosso município: O que houve com relação a multa de R$146 milhões e ao escândalo expositivo de nossa cidade na mídia? O que foi aquilo? Como uma administração, que tem o apoio da esfera nacional, permite que isso ocorra? Lamentável, sermos incumbidos de tal responsabilidade, sem sermos ao menos consultados! Cadê a responsabilidade? Quem irá responder por isso? E de onde sairá essa verba? Já que somos a “região mais pobre” será que ficaremos isentos disto? Só o tempo dirá? E para finalizar, gostaria de falar sobre algo que há muito me intriga, mas que me abstive de falar, para não ser injusto, e numa reflexão totalmente apolitizada, gostaria de refletir acerca dos acontecimentos do Hospital São João (HSJ). Primeiro: Greve é um direito constitucional de todo trabalhador no nosso país, garantido por lei...Isso é fato! Sobretudo, consta-me que nem 10% dos funcionários aderiram a greve! Então qual a finalidade? Segundo: Sou funcionário público estadual, e sei que como todos os grevistas, também ficaria extremamente irritado e inconsolado, com dívidas à pagar, com dois meses de pagamento atrasado! Porém, como disse, passei por processo seletivo, onde entre 10 mil concorrentes, classifiquei-me entre os 375 melhores! Após isso, participei de um curso de formação de 4 meses e fui novamente submetido a outra avaliação, respaldada no curso! De 60 questões, acertei  52 e mesmo assim, antes da posse fui submetido a uma bateria de exames para empossar-me! Atualmente, estou em meu último ano de estágio probatório, e se me aventurar a participar de uma ação grevista, corro o risco de ser exonerado! Vou dar a cara? E tudo isso concursado...Então, já é difícil no público, imagina no privado, tal como o HSJ? Quem vai defender esses grevistas no futuro? Terceiro: Saúde no Brasil já é um caos, com greve então...Coitada da população! O que será do nosso povo, se todos os setores prestadores de serviço de primeira necessidade cruzarem os braços? Eu hoje, respaldado pelo meu sindicato, que há tempos demonstra fraqueza diante ao governo, jamais iria aderir a uma greve! Primeiro, onde está a minha responsabilidade para com os meus educandos? E quem garantiria minhas faltas injustificadas? Já vi colegas prejudicados até o pescoço pra com isso...esse filme é velho! Quarto: A diretoria do hospital já não havia dado a palavra de honrar o compromisso? Então...Responsabilidade povo...Responsabilidade...Numa empresa privada, sua imagem é tudo! Sou funcionário privado também e sei disso! Ela quando maculada, nunca se reconfigura novamente....Quem irá auxiliar esses funcionários grevistas, quando a “poeira baixar”? Ficarão eles marcados na Instituição? Terão seus cargos assegurados no futuro? Serão dispensados? De quem será essa responsabilidade futura? Lembrem-se bem...Quando assumimos algo, assumimos o bônus e o ônus, e as responsabilidades para com o futuro desses 30 funcionários grevistas...Quem assumirá? E destes trinta, ainda há trinta famílias! Só o tempo dirá quem será capaz de assumir isto.....
Bom começo de ano útil a todos!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

PDF

Print Friendly and PDF