quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Chuva!

Esse é antigo,achei numa das minhas anotações...fiz em nome das pessoas de nossa terra que sofriam e sofrem com as mazelas das enchentes anuais! É mais uma prece do que uma poesia...Lembrei dela depois da chuva de hoje...Leiam aí....

Chuva....
“Abençoada dádiva celeste, lave o solo
e leve consigo toda a imundice e tristeza!
Liberte-nos do calor d’alma e do corpo!
Sacie a sede dos que necessitam, infiltre-se
na terra, alimente as plantas, purifique o impuro,
apazigue o semblante dos que por ti sofrem,
refresque toda a cidade, carregue o que não presta,
mas não faças com que teu excesso traga mazelas.
Que tu venhas sempre em certa quantidade e volume,
para que os mais necessitados não sofram com tua fúria!”

Deus, senhor da onipotência e onipresença, mande-nos a chuva sagrada...
Que glorifica o espírito e torna-se um alento....abençoada!
Cuide para que venha sempre na medida certa...nunca em profusão!
O povo, já carregado de chagas e mazelas não merece mais provação!
Pois quando a mesma vem em excesso...O divino se torna o mal...
O líquido que lava, nutre e gera vida...ganha força colossal...
Portanto...Que este janeiro, não sejas entristecedor....
Por favor, conclamo a ti...este povo não merece mais dor!

Ronaldo Camillo Rigante – Janeiro de 1998.
Chuva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

PDF

Print Friendly and PDF